Bitcoin vai subir?

Tempo de leitura: 8 minutos

Até quando o Bitcoin vai subir? Qual o valor justo desse ativo? Devo comprar isso?

Essas são algumas perguntas que tentarei responder no artigo de hoje!

A essa altura você já deve ter percebido que o Bitcoin é algo novo, de impossível comparação com qualquer outro tipo de ativo que conhecemos, daí a dificuldade de as pessoas entenderem de verdade o que estão comprando.

O que é o Bitcoin?

O Bitcoin é uma “espécie” de moeda eletrônica, com as mesmas propriedades do dinheiro, mas sem existir fisicamente. Ele pode passar diretamente de uma pessoa para outra sem a necessidade de um banco estar envolvido ou da permissão de qualquer autoridade.

Assim, a grande inovação desta tecnologia não corresponde à capacidade de transformar o dinheiro para a forma digital, isso já existe há muito tempo por meio dos cartões de crédito e outros meios de pagamento eletrônicos. Seu diferencial é permitir que o dinheiro circule de forma totalmente livre por todo o mundo, sem as limitações físicas e jurídicas que as aduanas e governos impõem aos seus cidadãos.

Sair do país com mais de R$ 10.000,00 pode ser considerado crime de lavagem de dinheiro ou evasão de divisas, por exemplo, sendo necessária a declaração do porte desses valores para evitar problemas com as autoridades.

Algumas amarras impostas pelo Estado acabam impedindo a existência de um mercado verdadeiramente globalizado, no qual o trânsito de bens, capital e pessoas seja realmente livre.

Assim, o Bitcoin permitiria, em tese, que o capital circulasse de forma completamente livre pelo mundo, sem qualquer tipo de amarra por conta de seu caráter totalmente descentralizado.

Essa propriedade (descentralização) é que permite que valores em Bitcoins não possam ser penhorados pelo Estado e seu aparato judicial. Somente o detentor da chave privada de uma determinada conta de Bitcoins poderá decidir o destino dos seus recursos, e isso é fantástico.

Seria o fim do Estado?

Particularmente discordo desta afirmação, não acho que a tecnologia Blockchain possa desbancar o papel fundamental do Estado na organização das sociedades humanas, isso seria um retrocesso.

Alguns animados liberais, ou em casos mais extremos anarquistas digitais, podem acreditar que com Bitcoins estão imunes aos poderes Estatais, doce ilusão. O fato é que tais tecnologias diminuem severamente o poder do Estado em alguns campos, principalmente na execução de sentenças e liquidação de valores, mas isso não significa seu fim, longe disso.

Na economia real você ainda precisará comprar comida no supermercado, seu carro, TV ou imóvel, e dessa tributação e controle, meus amigo(a)s, ninguém escapa!

Sem falar na total submissão das corretoras às Leis nacionais, tanto no dever de informar ou de reter, em caso de determinação judicial ou legal. Mas não há dúvidas de que haverá perda de poder.

Particularmente sou um entusiasta da diminuição dos poderes Estatais, a imposição de impostos como a CPMF é um verdadeiro abuso, e como a sociedade pouco poderia fazer para impedir que o Congresso Nacional nos impusesse essa obrigação, hoje nos restaria aceitar ou protestar nas ruas!

A ideia de moedas digitais imunes a este tipo de influência é bem vinda e imporia um verdadeiro controle aos abusos do Estado.

A sociedade está cansada de assistir passivamente à miopia do Estado em relação aos excessos cometidos pelo governo. Salários abusivos, jatos públicos levando autoridades para compromissos pessoais e luxos dos mais diversos sustentados pelo suor do contribuinte são o retrato do setor público.

Se fosse impossível continuar espremendo o povo, a consequência lógica seria uma verdadeira revisão do tamanho do Estado, não por livre iniciativa ou necessidade, mas sim por ser impossível se continuar assim!

Já vimos que não dá para esperar bom senso dos políticos, eles não se importam com isso, precisam ser forçados a mudar a forma como administram o Estado.

Alguma reação viria, e o Bitcoin e a Blockchain parecem ser uma espécie de panaceia. Imagine que as propriedades fossem registradas na blockchain e ninguém pudesse fraudar esse sistema, não seria maravilhoso fugir desta coisa arcaica que é o cartório?

Que os impostos fosse cobrados apenas sobre a propriedade, renda ou circulação; sem a possibilidade de criação de criaturas esdrúxulas como o IOF sobre câmbio, Fonte sobre remessas ou a famigerada Contribuição Provisória (risadas para o provisória) sobre a Movimentação Financeira.

Pois é, todas essas questões agora são possíveis com essa nova tecnologia e estou curioso para ver o que vai acontecer!

Mas dá para confiar nisso, qual o lastro do Bitcoin?

Desde o fim do padrão ouro e do sistema Bretton Woods, em 1971, que a mais importante moeda do mundo perdeu sua conversibilidade em ouro passando a ser meramente fiduciária. Isso significa que a partir desta data o valor do dólar não mais era indexado a uma determinada quantidade de ouro, e sim definido pela confiança, o curso forçado por Lei dos Estados Unidos da América e das Leis do Livre Mercado!

Deste modo, meus amigos e amigas, aqueles papéis verdinhos que você recebe no fim do mês não têm valor intrínseco algum, assim como o bitcoin, valem apenas porque o governo nos obriga a usá-los e as pessoas acreditam nisso!

Mas o que aconteceria se decidíssemos acreditar em outra coisa?

Ela valeria o quanto acreditássemos que seria o seu valor, ou, mais especificamente, seu valor seria definido pelo número de usuários, liquidez, confiança e poder desta rede, além das velhas leis da oferta e da demanda!

Quanto vale o Bitcoin e, especialmente, o Bitcoin vai subir?

Quem souber a resposta para essa pergunta está rico!

Mas não deixarei vocês sem uma resposta, apesar de não saber se ela está certa!

A primeira impressão de qualquer sujeito a comprar 1,00000000 BTC a R$ 17 mil é dizer que está caro!

Mas está caro por quê?

Aí ninguém tem uma resposta racional.

Direi porque acredito que a esse preço não vejo o Bitcoin como algo necessariamente caro, apesar de não ter certeza absoluta do seu sucesso.

Um bitcoin, em verdade, transformando para nossa notação com duas casas decimais seria o equivalente a B$ 1.000.000,00 de unidades monetárias BTC, e isso porque ele é negociado com oito casas decimais. Deste modo, não dá para comparar o valor do Real ou do Dólar com o da Bitcoin, simplesmente porque estão em grandezas diferentes.

Além disso, a escassez do Bitcoin é muito, mais muito superior ao das tradicionais moedas fiduciárias (FIAT) existentes no mundo. Para se ter ideia só existem 16 milhões de Bitcoins em circulação, enquanto existem trilhões de Reais e Dólares por aí!

Sem falar no limite de 21 milhões de Bitcoins.

E o grande trunfo do Bitcoin está aí. Já descobrimos que os Banco Centrais não são confiáveis no controle da quantidade de moeda em circulação, gerando inflação e diluição do nosso dinheiro sem nossa autorização.

Essas políticas monetárias nefastas e populistas vêm propagando o atraso em boa parte do mundo, e como isso simplesmente seria impossível com o Bitcoin, vejo uma verdadeira revolução com esse instrumento.

A partir de agora os governos simplesmente não teriam a capacidade de gerar inflação de base monetária, pois o controle da quantidade de moeda estaria nas mãos do código do sistema.

Pessoas são corrompíveis, instituições são corrompíveis, mas um código de computador, auditado e bem programado, não é corrompível e sempre executará o que foi definido, sem fraudes!

Você já viu um programa de computador te roubar? Dar um jeitinho ou aceitar propina?

Eu não!

Mas quanto vale um Bitcoin, o Bitcoin vai subir? Ou melhor, continuar subindo?

Sinceramente não sei, acredito que sim, mas tudo dependerá de como a sociedade global enxergará esse instrumento, além do que os governos farão para regulá-lo.

Pessoalmente, não vejo como irmos numa direção diferente. Carros fortes são verdadeiros objetos retrógrados e desnecessários, e em breve estarão em museus.

O Bitcoin começou valendo algo próximo de zero, e hoje alcançou um valor de mercado de $ 77 bilhões de Dólares.

Esse valor, se comparado, por exemplo, às reservas internacionais do Brasil, de $ 350 bilhões, é muito pequeno.

Pensem no valor do mercado internacional de ouro, que alcançou os 7 Trilhões de Dólares. Será que o Bitcoin poderia assumir o seu lugar, ou ter 10% de seu tamanho?

Só aí iriamos para 700 Bilhões de Dólares, ou cerca de dez vezes o valor atual do Bitcoin, algo em torno de R$ 170 mil.

E o mercado de remessas internacionais?

E o mercado de compras on-line?

E o mercado de apostas eletrônico, que já vem usando intensivamente o BTC?

E o mercado financeiro e de investimentos global?

E o mercado de derivativos de criptomoedas?

E o famigerado mercado negro, de paraísos fiscais e de lavagem de dinheiro (esse será objeto de outro artigo)?

Pois é, eu tenho a minha opinião, e você?

Um abraço!

www.tesourodiretosimplificado.com.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze − 9 =