Reforma da previdência

Tempo de leitura: 6 minutos

Reforma da previdência

A crise bateu em cheio nas aposentadorias e pensões do INSS e o governo necessitou iniciar a reforma da previdência com a obrigatoriedade da aposentadoria por idade.

O déficit explosivo e a crise fiscal acabaram por acelerar o processo de reavaliação das regras previdenciárias brasileiras. A verdade é que lá atrás alguém teve a brilhante ideia de se estabelecer no Brasil um regime previdenciário solidário de grande porte.

Ocorre que este tipo de regime funciona muito bem para países jovens, com uma pirâmide populacional de base larga, ou seja, muitos jovens trabalhando para pagar a pensão de poucos aposentados.

Um verdadeiro milagre populista que abriu um espaço orçamentário fantástico, permitindo a realização de obras faraônicas e o enriquecimento de muitos políticos no início do sistema.

Mas nós, desta geração, chegamos no final da festa, e o pior, todos já foram embora e nos deixaram a conta!

1. O fim da aposentadoria por tempo.

A principal mudança da atual proposta de reforma da previdência é a instituição de uma idade mínima para a aposentadoria. Agora, ninguém mais vai poder se aposentar com menos de 65 anos.

Além disso, antes eram necessários 15 anos de carência (tempo comprovado de contribuição) para que fosse concedido o benefício de aposentadoria por idade. Esta regra foi revista e a carência aumentada para 25 anos! Ou seja, agora está bem mais difícil se aposentar!

Se no passado era comum vermos professoras se aposentarem com quarenta e poucos anos, depois da reforma da previdência isso não será mais possível!

Os cinco anos a menos para as mulheres também serão suprimidos, sendo igualada a regra com os homens. A justificativa é fática, mulheres vivem mais que os homens e se aposentam mais cedo, isso ninguém pode contestar.

Outro fato que contribuiu para a mudança é o aumento da expectativa de vida do brasileiro, que está na casa dos 74 anos. Vivendo mais e com uma base de contribuintes menor, é preciso fazer alguma coisa para que as futuras gerações saibam o que é uma aposentadoria.

2. Quem será afetado?

Quase todos os brasileiros serão afetados pela reforma, apenas os já aposentados e os que já podem se aposentar estão excluídos das novas regras. Os homens que têm mais de 50 anos e as mulheres com mais de 45 anos estarão sujeitos a uma regra de transição que vai aumentar o tempo que falta para a aposentadoria em 50%.

Logo, se faltavam 10 anos, agora faltam 15!

É triste, eu sei, mas é a realidade!

3. O novo cálculo da aposentadoria.

Também mudou o critério de cálculo dos benefícios de aposentadoria, se antes o benefício integral era obtido com 30 anos de contribuição, agora serão necessários 49 anos!

Isso mesmo, 49 anos de contribuição!

Se você começar com 20 anos vai ter que pagar até os 69, isso se não ficar desempregado durante todo esse período!

Note que os 49 anos são necessários para receber 100% do seu salário de contribuição, ou seja, a base de calculo do benefício de aposentadoria.

Essa base de cálculo é obtida pela mesma regra anterior, as 80% maiores contribuições do histórico previdenciário do contribuinte.

Assim, o benefício mínimo será de 51% deste salário mais 1% a cada ano de contribuição. Como são necessários 25 anos para a aposentadoria, o benefício mínimo será de 76% do Salário de Contribuição ou um salário mínimo.

O objetivo do governo é claro, reduzir o valor dos novos benefícios.

Querem um exemplo? Vamos lá!

Imagine que você contribuiu a vida toda sobre o teto, com um salário de R$ 5 mil. Após 25 anos de serviço, e com 65 anos de idade, você decide que não dá mais, quer “puxar o boné”!

Quanto você vai receber?

Vamos lá, como mais de 80% das suas contribuições foram sobre o teto, seu salário de benefício será de R$ 5 mil. Considerando que você decidiu se aposentar com 25 anos de tempo comprovado e 65 anos de idade, seu benefício de aposentadoria será de 76% dos 5 mil, ou R$ 3.800.

Ou seja, você terá uma queda na sua renda de 24%!

Está preparado para isso?

E mais, é difícil que um trabalhador tenha uma média das 80% maiores contribuições no teto, o que pode dificultar ainda mais as coisas!

O mais comum é que essa média chegue perto dos R$ 3,5 mil, quando no fim da carreira o profissional recebe algo acima de R$ 5 mil. Assim, em verdade, o seu benefício está mais próximo R$ 2.660 do que dos R$ 3.800!

Preocupante, não é verdade?

4. Mudanças na aposentadoria pública.

As mesmas regras serão aplicáveis para os servidores públicos, agora os 55 e 60 anos foram alterados para os 65 anos para mulheres e homens, indistintamente.

Além disso a paridade para os empossados antes de 2003 também foi quebrada, sendo os benefícios corrigidos pelo IPCA ante à correção pelos mesmos índices da ativa.

Militares não foram atingidos, mas o governo promete revisar também suas regras em breve.

5. Pensões por morte.

As pensões por morte também foram alteradas. Agora as pensões não são mais acumuláveis com o benefício de aposentadoria, quem fizer jus aos dois terá que escolher apenas um deles.

Além disso, as pensões não poderão ser superiores a 50% do benefício de aposentadoria mais 10% por dependente. Sendo que os 10% não podem ser revertidos para a viúva e se extinguem com a maioridade do pensionista dependente.

6. Mudanças nas alíquotas.

Por hora o governo ainda não anunciou um aumento das alíquotas da contribuição do empregado nem do empregador. Entretanto, já se fala em um aumento de 11% para 14% da contribuição dos servidores públicos, e a medida conta com o apoio dos estados quebrados.

7. Conclusões.

A conclusão óbvia é que nossa aposentadoria será muito ruim e virá muito tarde!

Isso é um fato que temos que aceitar, infelizmente!

O pior é que teremos que pagar por ela, e caro, porque há uma boa parte da população aposentada e que depende destes benefícios.

Assim, teremos que planejar, mais do que nunca, a nossa vida financeira, caso contrário teremos que aceitar a previdência que o governo planejar para nós!

Já parou para pensar nisso?

Diante disso, lhe faço uma pergunta, quer ficar que nem meu amigo ai em baixo ou vai depositar todas as suas esperanças nos nossos políticos e no INSS?

reforma da previdência
Reforma da previdência

Em breve lançarei um produto revolucionário que vai lhe ajudar a planejar com sucesso a sua aposentadoria!

Victório Amoedo

Tesouro Direto Simplificado.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 × quatro =