Como investir no Tesouro Direto – Material totalmente Grátis!

Tempo de leitura: 13 minutos

Apenas 1 em cada 100 investidores pessoa física de fato não sabem como investir no Tesouro Direto, apesar do Tesouro render quase 50% a mais que a poupança. E isso ocorre porque muita gente ainda não sabe como investir em Tesouro Direto, ou seja, por pura falta de informação!

Entenda como investir no tesouro direto.

Antes de aprender a investir em títulos do tesouro direto é crucial que você se planeje, defina seus objetivos e conheça os diferentes perfis de investidor e entenda em qual perfil de investidor você se encaixa!

E o mais importante é necessário saber o que é o Tesouro Direto. Conhecer bem todos os títulos do Tesouro antes de começar a investir. São muitas as opções. muito títulos diferentes e se você não estiver com seu perfil, seu objetivo e saber qual o título e ideal para você.

Você corre o  risco de fazer um mal negócio, preparei esse material Gratuito com os 8 Passos Essenciais Para Começar a Investir No Tesouro Direto Com Segurança e Rentabilidade!

O que é o Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é um programa desenvolvido pelo Tesouro Nacional, com a Ajuda da BMF&Bovespa, para possibilitar a compra de títulos da dívida pública por pessoas físicas sem a necessidade de intermediários, o que proporciona uma rentabilidade muito maior para o investidor!

como investir em tesouro direto
como investir no tesouro direto

Antes do Tesouro Direto, só era possível investir neste tipo de ativo por meio de um fundo de investimento, com a intermediação de um banco, por exemplo!

Agora, com essa plataforma, o investidor pode ir diretamente à fonte e obter rentabilidades muito mais atraentes, e com a maior segurança de todo o mercado!

Assim, esse tipo de investimento é indicado para qualquer pessoa que deseje poupar recursos, não importa o prazo, focando na segurança e na rentabilidade que somente um produto de renda fixa desta natureza pode oferecer.

O que é a Dívida Pública?

A dívida pública é uma obrigação que o Governo Federal assume junto aos investidores, de pagar com juros o valor investido. Esse valor será corrigido pela taxa e prazo estipulados no título, e da forma contratada.

A dívida pública é utilizada pelo governo para financiar seus investimentos em infraestrutura, saúde e educação, entre outros tipos de gastos públicos.

O que é um título público?

como investir em titulos publicosUm título público é um ativo de renda fixa, do tipo pósfixado, indexado ou prefixado. Veremos mais adiante a diferença entre cada um deles, mas o importante é intender que um título é uma espécie de contrato de empréstimo, no qual o credor e o devedor pactuam a forma de correção, a taxa de juro e o prazo de vencimento da obrigação.

Os títulos públicos são utilizados em todo o mundo como um instrumento de investimento conservador e seguro, e o Brasil não é exceção.

A única diferença é que no mundo todo eles são a referência em segurança e oferecem, por isso, baixa rentabilidade. Já no nosso país, apesar de ser muito seguro, sua rentabilidade é, muitas vezes, superior à oferecida pelo setor privado, incluindo os grandes bancos e seus fundos e CDB.

A partir de quanto é possível investir?

A partir de R$ 30,00 já é possível investir no Tesouro Direto!

É muito fácil e acessível, qualquer pessoa pode comprar um título público ou uma fração dele, desde que pelo valor mínimo de R$ 30,00.

Mas, para investir é preciso seguir alguns passos, vamos a eles:

como investir em tesouro direto

Mas como investir no Tesouro Direto?

Passo a passo para investir no Tesouro Direto:

1. Abrir uma conta num agente de custódia:

O primeiro passo para investir é abrir uma conta num agente de custódia. Ele pode ser o seu banco comercial ou pode ser uma entidade especializada em investimentos, como as Corretoras de Títulos e Valores Mobiliários.

Investir por meio dos bancos é mais conveniente, mas sai muito mais caro. As taxas cobradas pelos bancos para a custódia de títulos do Tesouro Direto é de 0,45% ao ano, em média.

Parece pouco, mas acreditem, essa taxinha acaba saindo cara quando investimos por muito tempo, pois ela incide anualmente sobre todo o seu dinheiro investido!

Assim, é recomendável que você abra uma conta numa corretora especializada e solicite a habilitação no Tesouro Direto!

Existem muitas corretoras no Mercado, a algumas delas oferecem taxas de custódia 0%, o que aumenta em muito a rentabilidade do seu investimento!

Abaixo temos algumas dessas corretoras que oferecem isenção:

Entre outras, cuja lista atualizada você pode acessar aqui!

É muito rápido e fácil abrir uma conta, e muitas vezes não custa nada. Além de títulos, você também poderá comprar ações e debêntures, então, vale muito a pena investir no tesouro direto através de corretoras.

E quanto a segurança, seus títulos estão garantidos pelo MRP, independentemente de qual a instituição que você escolheu para custodiar dos seus títulos!

2. Solicite sua habilitação no Tesouro Direto

Depois de aberta a conta, seja no banco ou na corretora, o investidor deverá solicitar e assinar o termo para a habilitação no Tesouro Direto, momento em que receberá sua senha para comprar títulos.

3. Escolha o título mais indicado para o seu perfil

Existem diversos títulos, com diversos prazos de vencimento e fluxo de pagamento, para os diferentes perfis e objetivos de investimento.

IPCA +

Temos o IPCA + (clique aqui para ler um artigo mais detalhado sobre o funcionamento deste título), que pagará ao investidor a variação da inflação medida pelo IPCA adicionada a um ganho real prefixado pactuado no momento da compra do título.

Imagine que você comprou o título IPCA + 5% 2018. Você receberá o valor investido corrigido pela inflação do período, mais um percentual de 5% a.a. pelo prazo do investimento.

Esse título é indicado para objetivos de médio e longo prazos, uma vez que sua principal característica é garantir para o investidor  ganho real, independente da inflação!

Esse é o título para quem poupa para a aposentadoria ou para o futuro!

Tesouro Prefixado

No Tesouro prefixado (clique aqui para saber mais) o investidor saberá exatamente quanto vai receber no vencimento do título.

Geralmente esses títulos são oferecidos com vencimentos de 3 a 5 anos. Eles são indicados para investidores que têm algum objetivo programado, como comprar um carro ou fazer uma viagem, pois eles permitem o planejamento exato do valor a ser poupado para alcançar o objetivo.

Eles são indicados em momentos de inflação em tendência de baixa, e juros em tendência de baixa!

Tesouro Selic

O Tesouro Selic (clique aqui para saber mais) é o título mais conservador do Tesouro Direto!

Ele renderá, pelo prazo que o investidor manter seu investimento, exatamente a taxa Selic Over do período!

Assim, se a Selic subir, o investidor terá seu capital corrigido pela nova taxa, se cair, idem!

Desse modo, esse título é indicado para momentos em que a taxa Selic esteja em tendência de alta! Sua grande vantagem é a liquidez, pois o investidor poderá vender, sem prejuízos, e a qualquer momento, mesmo antes do vencimento, seus títulos obtendo o ganho proporcional do período.

Esse é o título mais indicado para investidores inexperientes!

4. Acompanhe seu investimento

Entre no site do Tesouro, ou do agente de custódia, e acompanhe a rentabilidade do seu investimento!

5. Venda quando quiser

Se seu título for Selic, você pode vender e embolsar o lucro proporcional do período investido, a qualquer hora e em qualquer lugar! Em D + 1 (D = Dia da venda) seu dinheiro será creditado na conta do agente de custódia, sem demora!

Se seu título for IPCA + ou Prefixado, é preciso considerar a marcação a mercado em caso de venda antes do Vencimento.

Mas o que é a Marcação a mercado?

A marcação a mercado (clique aqui para saber mais) é a dinâmica pela qual o preço dos títulos Prefixados e Indexados (IPCA +) é corrigido com a variação das taxas de juro do mercado.

Quando você compra um título a uma taxa de 10% ao ano, e de repente o Tesouro começa a oferecer o mesmo título a uma taxa diferente o preço do seu título varia.

Se a taxa nova for menor, maravilha, você tem uma parte da rentabilidade antecipada; mas se ela for maior, aí temos um problema, o preço de mercado do seu título diminui, podendo inclusive apresentar rentabilidade negativa.

É possível obter rentabilidades de 60% ao ano, veja o vídeo abaixo e descubra como obtive essa rentabilidade incrível:

Mas tudo que sobe também pode descer. Da mesma maneira que é possível obter 60% de ganhos, é possível obter 60% de perdas!

Mas perceba, isso só ocorre se você resolver vender seu título antes do vencimento, ok?!

Se você carregá-lo até a data de vencimento não há risco, você receberá exatamente o contratado, sem qualquer mudança e nunca poderá ter prejuízo!

Esse conceito é um pouco complexo, mas com o tempo vocês vão entender e utilizar ao seu favor. O importante é saber que quanto mais longo for o prazo de vencimento do título que você comprar, mais volátil será o seu preço a mercado (venda antes do vencimento).

tesouro direto vale a pena

Quais os riscos de investir no Tesouro Direto?

Risco de crédito

Primeiro é preciso saber separar os tipos de risco, o de crédito do de mercado. O Risco de crédito é o risco do devedor não honrar o compromisso assumido com seu credor, ou seja, o risco de calote.

No caso do Tesouro Direto o risco de calote é muito baixo, pois a capacidade de pagamento do Governo Federal é a maior de toda a Economia, pois o Governo é o maior agente econômico do país!

Além disso, caso um evento desse ocorra, não haverá porto seguro para investir e os bancos também entrarão em colapso. Além disso, para evitar que isso ocorra o governo pode vir a imprimir moeda e gerar inflação, mas honrando os compromissos.

É equivocada a ideia de que a poupança seria mais segura que o Tesouro Direto, não acredite nisso, o TD é o produto de renda fixa mais seguro de todo o mercado.

Risco de Mercado

É o risco das taxas subirem muito e provocarem um prejuízo no valor de mercado dos seus títulos, ou seja, gerando rentabilidade negativa em caso de venda antes do vencimento.

Se você não entendeu o conceito, não se preocupe, invista em Tesouro Selic que você não correrá risco de mercado. Apenas o IPCA + e os Prefixados estão sujeitos à marcação a mercado, e quanto maior o prazo de vencimento, maior o risco.

Custos e Tributação do Tesouro Direto

Mas e aí, quais os custos de tributação e de custódia do TD?

Taxa de Custódia

Além da taxa de custódia do Agente, aquela que comentamos que pode ser isenta em algumas corretoras, o investidor terá que pagar a custódia da BMF&Bovespa. Essa taxa é de 0,3% ao ano sobre o saldo investido (Principal + juros).

Apesar de relevante, ela é bem mais baixa que a média das taxas de administração do mercado, que partem de 1 ou 1,5% e podem chegar aos 6% em alguns casos.

Além dessa taxa, há apenas o IOF e o IRRF.

IOF no Tesouro Direto:

Se você investir por mais de 30 dias não haverá incidência do IOF sobre seus lucros, mas se o prazo for menor que esse, sinto muito, haverá tributação.

A tabela é regressiva e começa com 97% no primeiro dia, sendo diminuída a alíquota em 3% a cada dia até chegar a 0% no trigésimo dia.

Imposto de Renda Retido na Fonte no Tesouro Direto:

O IR incidirá sobre os ganhos financeiros de acordo com a tabela regressiva aplicável aos demais rendimentos do tipo renda fixa, como fundos, CDB, entre outros:

  • 22,5% para aplicações com prazo de até 180 dias;
  • 20% para aplicações com prazo de 181 dias até 360 dias;
  • 17,5% para aplicações com prazo de 361 dias até 720 dias;
  • 15% para aplicações com prazo acima de 720 dias.

Desse modo, é importante permanecer por pelo menos 2 anos para poder gozar da melhor alíquota e potencializar a rentabilidade do seu investimento.

Outra vantagem do Tesouro Direto é que ele não está sujeito à sistemática de cobrança do IRRF denominada come quotas. Nessa sistemática, a cada seis meses o custodiante cobra do investidor o IR do período.

No TD o IR é diferido, ou atrasado, até o momento da liquidação do título, permitindo que o imposto renda juros para o investidor e para o governo, melhorando em 47% o desempenho em comparação com um produto, sujeito a mesma taxa, tributado pelo come quotas (30 anos).

Mas e aí, quanto vou ganhar investindo no tesouro?

Salvo o título prefixado, é impossível saber ao certo quanto o investidor receberá no vencimento e, por conseguinte, qual a melhor opção de título para investir.

Contudo, há técnicas para identificar o melhor momento de se investir em cada título, pois o cenário definirá a melhor opção.

Uma possibilidade é simular, no simulador do próprio Tesouro, a melhor opção antes de comprar. Clique aqui para acessar o simulador!

simulador do tesouro direto
simulador tesouro direto

Viram como é simples?!

Se você ainda não está se sentindo seguro, recomendo que baixe o meu e-book grátis para aprender a investir no Tesouro Direto clicando aqui!

Em pouco tempo você estará investindo como um profissional e obtendo rentabilidades muito superiores ao CDI e à poupança!

Não perca tempo, comece agora mesmo a mudar a sua vida financeira!

Um abraço!

4 Comentários



  1. OLA VICTOR ESPERO TIRAR ESSA DUVIDA COM VC SE EU INVESTIR NO TESOURO DIRETO UM CERTO VALOR TODO MES EU TENHO QUE TER NA MINHA CONTA ESSE VALOR PARA MEU BANCO ADMINISTRADOR REPASAR PARA O TESOURO DIRETO OU EU INVISTO SOMENTE UMA VEZ EM CADA TÍTULO. DESDE JA LHE AGRADECO

    Responder

    1. Você tem que deixar o valor disponível no seu agente de custódia, que pode ser o banco ou a corretora. VOcê também pode comprar quantos títulos quiser, do tipo que quiser e quantas vezes quiser!

      Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

19 − cinco =